Archive for dezembro, 2017

Ciclos

terça-feira, dezembro 26th, 2017

O maior prazer da vida é dormir
Estou ficando desnorteado
Prefiro ficar sulificado
Os mais velhos não entendem a juventude
Os mais novos não querem entender os mais velhos
Nada contra
Assim o mundo se renova
E tanto eles quanto nós somos e tendemos ao anonimato
Mas ao destacarem-se os mais velhos trazem um peso de autoritarismo
Enquanto os mais jovens tendem à rebeldia
A rebeldia não é só e nem tanto a manifesta
Tem a sublimada
Que gera o impulso ao destaque
Que gera a construção da identidade
Em todas as áreas economia politica cultura esporte
Aprecio o conceito de geração
Acredito que aos de mesma época a despeito de origens ergue-se um universo comum que persiste apesar de todas as diversidades
Não inventei é o espirito de época
E a cada época alguns mais velhos conseguem atrair alguns mais novos
Para o bem e para o mal
Pior é que sempre acabam perdendo sua consciência de geração
Jovens não podem ser golpistas
A menos que adiram aos golpistas mais velhos
E claro não é um problema de idade
Não são os quantos anos
É a submissão ao autoritarismo
A geração de 64 emerge no mesmo ano do golpe
Teve seus mais destacados combatentes massacrados
A maioria silenciosa também tem sua forma de combate
A resistência felizmente para a maioria é a pacífica
A de guerra mesmo a da minoria esclarecida não é viável
Morre muita gente
Gente é pra viver não é pra morrer
E a dominação dos mais velhos do mal foi terrível
E a dominação dos mais velhos do mal é terrível
O golpe civil de 2016 improvável e tôsco como é que se mantem até hoje
E descarrega o seu inacreditável baú de maldades sôbre a população
A geração dos mais velhos do mal ataca agora até os jovens do futuro
Autoritários aqui
Servís ao maior mal do mundo em todas as épocas: o imperialismo

Manchas

terça-feira, dezembro 12th, 2017

A quadrilha no executivo no legislativo e no judiciário
Como uma espiral arrasa o país
É como um furacão
Logo aqui onde não os temos
Quantas perguntas estão a perguntar-se
Quantas respondidas
Nada que o humano faça pode ser estranho ao humano
Quando prevemos um temporal corremos a nos abrigar
Quando não … somos devastados
A dor não é a minha praia
Que nem escravos vendendo bugigangas importadas pela rua afora
E as trazem como grilhões penduradas ao pescoço
Os avanços dos humanos sobre a natureza são notáveis
Só se esquecem que eles e ela são um só
É melhor fazer antes pra não ter que fazer na hora
Se não és a lagoa pelo menos não me afogarei
Se não és a torrente pelo menos não me arrastarás
Se não sou um gigante pelo menos não te amassarei
E como não sou perfeito não insistirei
Pega o bagulho
Fuma o bagulho
E num recrama
O importante é começar bem depois piora
Quem bebeu quem fumou tem que agradecer por isso
O mundo em chamas é o que o imperialismo deseja
O macarrão tem que estar no ponto
Nem pra mais nem pra menos
Cuidado com o sal
E o problema não é dos saltimbancos
E sim dos bancos o assalto
A nós por eles infligido
Não se deve cogitar o incogitável
Vai que atrai
O congresso o supremo e o juiz acanalharam a republica
O que os governantes fazem é governar
O que os usurpadores fazem é usurpar
É preciso viver com menos
Para viver melhor
E vivermos todos
Ninguém precisa ter mais que ninguém

Orações

terça-feira, dezembro 5th, 2017

A primeira prioridade da cultura no momento é sustentar a proposta do Zé Celso em São Paulo
A primeira ordem é não ser desordenado
Não podemos deixar que o passado nos engula
Vivemos em nós descuidados da vida lá fora
Mas se não o fizermos quem viverá por nós?
Há dias em que melhor é começar de novo
Quem se insinua é a cobra para vender maçãs
A contra-revolução está nos dando de 7 x1
Animais há nas florestas
Animais há nas cidades
Animais em toda parte
É preciso acabar com o confronto físico
As frutas também são parte da evolução humana?
Que bem que nos fazem
Até a maçã apesar da lenda
Nomear o adversário é fazer-lhe propaganda
O possível é melhor que o impossível
Prefiro ficar na lama do que me dar problema
Pra que serve o estado senão pra garantir o pleno emprego?
Sou mais o singular que o plural
A pessoa vale pelo que já fêz não pelo que diz que vai fazer
Quem está na luta não tem tempo pra chorar
Não é o meu caso
Nem sempre o que é parece
Nem sempre o que parece é
Não se deve queimar pontes
Nem depois nem antes
A realidade não é o que se imagina é o que se vive
Tudo no fim dá certo
Mas não faço nem metade do que devia fazer
Todo predador precisa ter bons dentes
Não é o meu caso
Tenho pouca grana
Mas o meu prazer é inenarrável
E agora viramos reféns no país dos párias senís e dos párias juvenís
A bolha imperialista repassou a crise para o mundo inteiro
Uma incrível potência autosustentável como a nossa não precisa passar por essa conspiração servil
Transforme-se o agronegócio em agropulmão
Abole o latifundio
Siga o MST