Anódinos

Há tensões nas intenções
O paradigma foi ali e volta já
Deixou o paletó
Saiu catando cavaco
Ninguém viu pra onde foi
Ninguém sabe onde ele anda
O paradigma cansou de sê-lo
Não devia haver guerra
Não pode haver guerra
Não reclame da sorte
Perguntou mas não esperou resposta
O que foi nem parece o que é
Não importa o que digam sois ilegítimos golpistas
Precisa um basta à ditadura do jurídico
O que não é não pode ser
O que não é objetivo é subjetivo
A direita provoca
Vamos lhe dar troco?
Querer que o mais votado não se candidate é coisa de louco
A burrice da televisão é quando o locutor descreve as cenas que todos estamos vendo
Só é pior quando fingem que opinam sobre as pautas previamente determinadas pelos donos que os empregam
Só é pior quando o repórter fica na frente do fato impedindo-nos de vê-lo
Guarde-me as boas
E poupe-me as más
Um país de tênues ilusões
Não é bom augúrio o ódio de classe
Aliás ódio algum
Não é bom augúrio o justiçamento público
Aliás justiçamento algum
Todo mundo ri da própria desgraça
O meu olhar me diz mais do que eu vejo
Enquanto tá do lado tem sempre o amanhã
A velha burguesia a serviço da CIA e do imperialismo radicaliza é eles ou nós
O pais de 4 pro imperialismo ninguém merece
Imagina meia dúzia de janotas a prender 50 milhões de eleitores
E se prender o outro terão prendido todo o eleitorado do país
Meteoro se bater explode o mundo
Diga o que pensa
Digo o que penso
Parabéns aos radicais mas se não for o povo com Lula lá quem é que vocês vão botar

Comments are closed.