Archive for janeiro, 2019

Folgas

terça-feira, janeiro 29th, 2019

E vem carná
Quero brincá
De cortesão ou cortesã
De côr de rosa ou côr de azul
Ou de rei momo ou pé no chão
Farreia até o sol raiá
O desenvolvimento pode ser útil mas o desenvolvimentismo é uma desgraça
Não poderíamos os 210 milhões vivermos nos 8 milhões e meio de kms quadrados em harmonia?
Daria uns 26 km por cabeça
Por que não imaginar o país assim constituído
Cada brasileiro tem direito ao usufruto de 26 km2 do território nacional
E não mais que isso
Mas podem se associar em cooperativas por exemplo
Acho que espraiamos o legado dos anos sessenta
Embora se tolerarmos a fraude
Acabamos cúmplices do genocídio
O neoliberalismo atormenta o mundo
E aí vem um mal parido a querer impor isso na marra
Não sei qual a lógica do destino
Deve ter ou será que não tem?
Cada geração tem que dar conta da sua encrenca
Não pode pegar carona na da outra
O caminho de ida não serve para a volta
Eu lavo tu lavas ele suja
A vida não tem estribeira cada um faz a sua besteira
Disse o mico vais micar
O relâmpago relampeja sem parar
Há pedras no caminho
Mas já foi pior muito pior
Torço apenas pra que não piore
A melhor hipótese é uma frente de esquerda de todas as áreas sem bobagens para botar a direita nos seus 10% de presença
A esquerda do bem contra a direita do mal
A vida contra a morte
O livro contra a bala
É como no futebol
O negócio é fazer gol no adversário e nisto o Brasil é bom
E aí tem uma risca no centro do campo eles lá e nós cá
Todo mundo tem o direito de escolher o time em que quer jogar na final do campeonato ainda mal começou o primeiro turno
O chato é que o nosso campeão é refém deles
Tarefa primeira: resgatar a quem eles sequestraram

Tiros

terça-feira, janeiro 22nd, 2019

Se eu falar de quem o aro
Se eu falar de quem o ão
Tiro a graça da canção
Ora o oro
Ora ora
Seu castigo não demora
Chega o cara
Chuta o balde
Eis o cume da maldade
Antes fosse
Antes sêsse
Não há fim que não comece
Dá um tiro
Um tiro lá
A tirolesa vai cantá
Eu tiro o lei ei ti
A marca que eu marquei
Ninguém vai desmarcar
Ouvi um alvoroço
Nas ondas lá do mar
É fogo ou desafogo
É gente a se afogar
Se fôr do bem socorro
Se fôr do mal se afogue
Quem faz mal com mal se pague
Quem bem faz não há pagar
O costume faz ladrão
Não é bom se acostumar
Minha terra sem palmeiras
Sabiá não vai cantar
Se soubesse quando o mundo
Vai enfim se aprumar
Cantaria um dó de peito
Cantaria o virundá
Mas se não vier o prumo
E se o prumo não aprumar
A quem pedirei que nos salve
Quem poderá nos salvar
O salvador que nos salve
Antes vai ter que salvar-se

Tontas

segunda-feira, janeiro 14th, 2019

E alcoolmunista pode?
É inacreditável que se aceite a eleição última como legítima
Com as confessadas declarações de intervenção do judiciário do legislativo e das armadas para impedir o favorito
Se isto não é uma ditadura é o quê?
Vivê-la é quanto custa a vida
Sem tirar nem pôr
Boatos e crendices se espalham feito mato
A sociedade industrial traz em seu bojo uma armadilha
Precisa instaurar o consumo de massa como se fosse um desejo social
A pressão social induz a população a práticas de massa
Ninguém quer ser pior que ninguém
Mas ninguém pode ser melhor que ninguém
Na falta do que dizer procura-se repetir certezas
O que eu não sei não me faz falta
O que eu procuro não me acha
Não me sinto bem catando sonhos
Vá lá a direita porra louca venceu mas pra que manter o velho na prisão?
E o que fazem as poetas?
Torcem-se com as imagens
Para expressar seu âmago
Por alguma causa ou causa alguma
O que faz bem não faz mal
Né por nada não mas os milhares de militares honestos em todo o país que cumprem missões às vezes de alto risco se identificam por acaso com esse renegado capitão maluco que quer jogar o exército contra o povo?
Expulso do exército sentou praça na politicagem
Sonhei que era tudo um pesadelo
Acordei do sonho mas não do pesadelo
Será o Benedito? Nesta terra só se fala do que é estrangeiro depois não se entende como o imperialismo vence fácil
Tento estar atento
Às vezes nem sempre consigo
Tiro ao aro
Se tirar o aro do bolso
Ou tirar do bolso o aro
Se tirar o ão do ouro
Ou tirar o ouro do ão
Novos ares haverá
Ou ares novos haverão
Dá uns tiro nisso aí!
O pessoal tão dizendo que o micto tá com medo do avião pras suissa
O ogro ora?
A quem ora?

Nêsgas

terça-feira, janeiro 8th, 2019

Recuso generalizar
Tem gente boa e má em todo canto
Triste é quando os do bem são suplantados pelos do mal
Pra que empresário?
Sou pela autogestão cooperativada dos meios de produção
Meu avô paterno era chefe eletricista operário na mina de Morro Velho em Nova Lima
Meu avô materno era almoxarife na Central do Brasil e gostava muito de cinema
Não tem que dizer sim tem que dizer não
Faço o que todo mundo faz
Reclamo e esperneio em vão
O impostor imposta
Que graça tem sua vitória se você sabe que foi fraude
A solução não é repressão a mais
E agora com vocês o súcialismo
Eles gostam é da privada
Todos somos como as plantas veias raízes
Tropa é coletivo do que mesmo?
E o lilás?
O problema dos mais jovens é que não nos prestam reverência
O poder engana as gentes
Quem se acha de esquerda precisa é tirar o velho de lá depois se vê o resto
Mudanças mudanças
Nem é preciso tanta mudança
Basta fazer render melhor o que já é
Quero acreditar na evolução da espécie
Infelizmente não é pra todos
Primeiro há que sobreviver
E sobrevivem os mais fortes
Ou os mais adaptados
Pra que serve o pensamento
É privilégio do humano?
É para domar a natureza?
É para ordenar o instinto?
Todo ser humano pensa
Em prol de sua própria sobrevivência
Não se pode pensar pelos outros
Mas não se pode sobreviver sozinho
Na corrida pela vida uns acabam atropelando os outros
Fazer o quê?
Não matarás

Cantos

sábado, janeiro 5th, 2019

A ilusão é a primeira que nasce e a última que morre
Sem discussão fêz-se a luz se soprar apaga
Não há na história da democracia mundial a prisão ilegal e mantença de sua maior expressão popular só para promover e fraudar as primeiras eleições gerais desde o golpe
Não é possível que os militares brasileiros se deixem conduzir por um fanático rebelado
Que propunha um atentado e acaba de realizar agora um outro
Não é possível que se identifiquem com esse discurso de ódio e violência
Vocês que cresceram e fortaleceram-se em governos legítimos e em sua medida garantiram-nos a paz
Bem sei os militares implicam com os civis que não tem como eles uma vida regrada de missões e deveres
Acham-nos indolentes e incompetentes
E além do chamado espírito de corporação todos os oficiais superiores fizeram seus cursos obrigatórios nos USA
E voltam encantados com o poderio bélico e o manejo estratégico do anfitrião
Mas aqui não temos missões de guerra e as armadas prestam notáveis serviços públicos na engenharia na ciência na saúde
E vocês vão botar-se sob as ordens de um lunático que quer botar uma arma na mão de quaisquer civis?
Armas são prerrogativas militares a serviço exclusivo da proteção à população
Não é para ameaçar-nos e intimidar-nos
Inclusive porque quem tem as armas nas mãos são os soldados
E vocês permitiram a derrubada funesta de um governo legítimo e da comandante em chefe
Só por não suportarem o comando de uma mulher digna e honesta
Que mesmo se adversária a ética militar obriga a respeitar
Um golpe urdido e capitaneado por um notório corrupto naquela absurda sessão parlamentar um mês depois deposto e aprisionado
E agora estão vocês a sustentar a maior fraude jurídica da história
Confessadamente montada só para impedir eleições livres e impor um celerado ao país
E querem ir além
Querem considerar o mais querido da nação como inimigo com uma condenação que é um escárnio universal
Um rábula anônimo igualmente gestado nas escolas dos USA que declarada e confessadamente articula executa e comanda uma teia de doleiros
E delatores para manter sequestrado quem mais fez pelo Brasil e pelos brasileiros
É deste lado da história que a mesa dos generais quer sentar?
Quereis ser algozes?
Não se enganem com os cargos e funções que uns tantos conseguirem
Ao que parece seu passado já foi melhor que seu futuro
E não acredito que queiram enaltecer e perfilhar crimes de tortura que não cometeram
Como faz o idiota que joga na lama a honra de toda a corporação de que foi expulso
Sob a dor de 5/6 da população que nele não votaram
Na mais fraudulenta e confessada fraude eleitoral de nossa história
Enquanto o mais querido impávido aguarda na prisão injusta o desfecho de mais um golpe à brasileira
Em janeiro um usurpador sucederá o usurpador em Brasília
Um ilegítimo no lugar de um ilegítimo no poder
Não hesitem é golpe
E nem há confronto deixa o velho em paz
Deviam era anular as eleições de 18 por fraude e coação e convocar novas eleições gerais e livres