Tontas

E alcoolmunista pode?
É inacreditável que se aceite a eleição última como legítima
Com as confessadas declarações de intervenção do judiciário do legislativo e das armadas para impedir o favorito
Se isto não é uma ditadura é o quê?
Vivê-la é quanto custa a vida
Sem tirar nem pôr
Boatos e crendices se espalham feito mato
A sociedade industrial traz em seu bojo uma armadilha
Precisa instaurar o consumo de massa como se fosse um desejo social
A pressão social induz a população a práticas de massa
Ninguém quer ser pior que ninguém
Mas ninguém pode ser melhor que ninguém
Na falta do que dizer procura-se repetir certezas
O que eu não sei não me faz falta
O que eu procuro não me acha
Não me sinto bem catando sonhos
Vá lá a direita porra louca venceu mas pra que manter o velho na prisão?
E o que fazem as poetas?
Torcem-se com as imagens
Para expressar seu âmago
Por alguma causa ou causa alguma
O que faz bem não faz mal
Né por nada não mas os milhares de militares honestos em todo o país que cumprem missões às vezes de alto risco se identificam por acaso com esse renegado capitão maluco que quer jogar o exército contra o povo?
Expulso do exército sentou praça na politicagem
Sonhei que era tudo um pesadelo
Acordei do sonho mas não do pesadelo
Será o Benedito? Nesta terra só se fala do que é estrangeiro depois não se entende como o imperialismo vence fácil
Tento estar atento
Às vezes nem sempre consigo
Tiro ao aro
Se tirar o aro do bolso
Ou tirar do bolso o aro
Se tirar o ão do ouro
Ou tirar o ouro do ão
Novos ares haverá
Ou ares novos haverão
Dá uns tiro nisso aí!
O pessoal tão dizendo que o micto tá com medo do avião pras suissa
O ogro ora?
A quem ora?

Comments are closed.