Tiros

Se eu falar de quem o aro
Se eu falar de quem o ão
Tiro a graça da canção
Ora o oro
Ora ora
Seu castigo não demora
Chega o cara
Chuta o balde
Eis o cume da maldade
Antes fosse
Antes sêsse
Não há fim que não comece
Dá um tiro
Um tiro lá
A tirolesa vai cantá
Eu tiro o lei ei ti
A marca que eu marquei
Ninguém vai desmarcar
Ouvi um alvoroço
Nas ondas lá do mar
É fogo ou desafogo
É gente a se afogar
Se fôr do bem socorro
Se fôr do mal se afogue
Quem faz mal com mal se pague
Quem bem faz não há pagar
O costume faz ladrão
Não é bom se acostumar
Minha terra sem palmeiras
Sabiá não vai cantar
Se soubesse quando o mundo
Vai enfim se aprumar
Cantaria um dó de peito
Cantaria o virundá
Mas se não vier o prumo
E se o prumo não aprumar
A quem pedirei que nos salve
Quem poderá nos salvar
O salvador que nos salve
Antes vai ter que salvar-se

Comments are closed.