Folgas

E vem carná
Quero brincá
De cortesão ou cortesã
De côr de rosa ou côr de azul
Ou de rei momo ou pé no chão
Farreia até o sol raiá
O desenvolvimento pode ser útil mas o desenvolvimentismo é uma desgraça
Não poderíamos os 210 milhões vivermos nos 8 milhões e meio de kms quadrados em harmonia?
Daria uns 26 km por cabeça
Por que não imaginar o país assim constituído
Cada brasileiro tem direito ao usufruto de 26 km2 do território nacional
E não mais que isso
Mas podem se associar em cooperativas por exemplo
Acho que espraiamos o legado dos anos sessenta
Embora se tolerarmos a fraude
Acabamos cúmplices do genocídio
O neoliberalismo atormenta o mundo
E aí vem um mal parido a querer impor isso na marra
Não sei qual a lógica do destino
Deve ter ou será que não tem?
Cada geração tem que dar conta da sua encrenca
Não pode pegar carona na da outra
O caminho de ida não serve para a volta
Eu lavo tu lavas ele suja
A vida não tem estribeira cada um faz a sua besteira
Disse o mico vais micar
O relâmpago relampeja sem parar
Há pedras no caminho
Mas já foi pior muito pior
Torço apenas pra que não piore
A melhor hipótese é uma frente de esquerda de todas as áreas sem bobagens para botar a direita nos seus 10% de presença
A esquerda do bem contra a direita do mal
A vida contra a morte
O livro contra a bala
É como no futebol
O negócio é fazer gol no adversário e nisto o Brasil é bom
E aí tem uma risca no centro do campo eles lá e nós cá
Todo mundo tem o direito de escolher o time em que quer jogar na final do campeonato ainda mal começou o primeiro turno
O chato é que o nosso campeão é refém deles
Tarefa primeira: resgatar a quem eles sequestraram

Comments are closed.