Solices

Desde o 1º. de abril de 2009 faz uma década não são dez dias
Publico semanalmente n’A Tribuna as minhas crônicas que mais tarde viraram versos como abaixo
Se desarmar todo mundo nem precisa polícia nenhuma
O problema é a intimidação de classe
Pra que servem os ricos para oprimir-nos?
O jacu atrás da jacua
Se não se limitasse às falcatruas da galera o estado resolvia tudo
Tudo o que a mona tá fazendo dá pra desfazer depois
Com essa desenvoltura é mole contratar um pistoleiro
O micto do mito
Militar só sabe dar e receber ordens
O país assiste atônito ao avançar da bêsta
O erro foi não reprimir a direita como a direita reprime a esquerda
O que se passa na mente de um assassino?
O que se passa na mente de um mandante?
O que se passa na mente de um comandante?
Comandante manda seus comandados matar ou morrer a seu critério
O que me inspira é o que eu respiro
E o com”domínio” tem brazão?
Alô Brasil copia e cola
A milicada já levou um troco na falência do governo
Trêfegos trafegam sem se preocupar com o tráfego
Logo veremos no que resulta
A jamanta trombou com a ambulância
Jurisconsulto não é bêsta de abrir o bico
Confissão é barato de otário
O governo chantageia o estado
Meia dúzia de reformados entrega o país por trinta trocados
Querem para si o que a todos negam
Quanto vale a Vale vale nada
Por que o executivo depende do legislativo?
Nas guerras os mais velhos mandam os mais novos morrer na frente
Os generais mandam os praças
Só que os donos de lá são milionários
A marinha devia ocupar-se em limpar a água do país
Faz-se à jato mas vai-se o jato
Os militares de hoje nada tem a ver com os do século passado
Uma minoria de pijamas escudados pelo princípio da hierarquia e disciplina e agora em seus atuais postos civis
1º. de Abril

Comments are closed.