Archive for agosto, 2019

Balbúrdias

terça-feira, agosto 27th, 2019

E os militares precisam se convencer de uma vêz por todas que Lula não é o inimigo
Ao contrário foi quem lhes deu mais respeito e condições de trabalho
Pelo menos há algo no ritmo?
“Toma limonada…”
Façamos o seguinte metade do mercado audiovisual para os gringos e metade para os nativos
Vamos ver quem ganha o público
Lula que segue houve erros mas quem os purga é o próprio na própria pele
Não empurra pra ninguém não tergiversa é inocente e pronto
Anulem-se os processos e acusações sem provas
#LulaLivre!
Em sua casa ou onde quiser
O ser é determinado pelo estar
O flagelo dos povos é a invasão
O problema dos militares é que eles só ouvem a voz da linha de comando
O estado de direito subjugado pelo estado de fato
A elite burguesa não suporta não tolera o sucesso do peão
Se não legalizar a guerra não acaba
Derrubando o desentranhado fascismo o país se recupera
Não devia era ter estrangeiro em lugar nenhum
Os fulaninhos já se deram bem até quando vão manter o campeão na prisão?
Isso não acaba?
Na dúvida pró réu!
É impávido o colosso?
Como pode o capitalismo ser contra o trabalhador?
Como pode ter madeireira e mineração na maior floresta tropical do mundo?
Os ventos que de lá traziam as águas agora vão nos trazer as cinzas?
Será que o dilúvio universal não foi resultado de um degelo polar?
Aqui não tem vulcão não tem fogo
Foi preciso o progresso humano para atear fogo às vestes naturais da terra?
O humano não sobreviverá à terra
A terra sobreviverá ao humano
O humano só tem acesso à terra por cima
Das entranhas a terra emerge e se renova
Independente da existência humana
Que é só mais um dos efêmeros caprichos da natureza
O humano tem o poder de destruir o planeta?
Não
O humano só tem o poder de destruir a si mesmo
Todo e qualquer humano tem este poder?
Não; apenas os aferrados a suas cúpulas

Lances

terça-feira, agosto 20th, 2019

Duas vezes presidente só não foi ainda a terceira por conta de um golpe judiciário
O Supremo não pode ainda acobertar mais um golpe contra a nação
Anula a fraude eleitoral
Açodadas com seus pequenos ganhos é uma pena que as autoridades não pensem na história
Não sei se há ou nunca houve alguma novidade no que se diz
Ouvi dizer que ela disse que é hora de nossa geração passar o bastão
O país no topo é um desastre mas na base a tudo resiste
Se eu fosse o velho botava um pijama e ia jogar gamão na praça
Nada contra as forças armadas
Mas se forças pra que armadas
Vem de antes vem de muito tempo
As sociedades nenhuma consegue abater seu caráter repressor
E aí não tem graça
Armadas pela sociedade é no entanto contra ela que seus mandantes conspiram
É uma pena
Carreiras rigorosas exigem de seus militares mais que aos cidadãos comuns
Formam especialistas de várias áreas notáveis
Ainda assim sob o rigor das casernas
Preparados para superar os problemas que lhes põem
Por que de repente se voltam conta a sociedade desarmada?
E querem mandar
Aí e então desmandam-se
Por serem força admiram-na
Nem perguntam de onde vem
Admiram a força
Submeteram-se a ela
E acham que devem portanto submeter-nos a todos
Assim desmandam-se
Desde a abertura nunca mais se viu militar mandando no pedaço
Ou me engano?
Foi preciso agora
Na revolta do baixo clero que a praga voltou
Sai pra lá tempo ruim
Ordem unida é carma da civilização
O véio escapou de ser peão no campo para ser peão na fábrica
E nisto a elite burguesa morre de inveja
Não porque quisesse ela ser peão no campo ou na fábrica
Mas por ser incapaz de conduzir o país a dias melhores como fez o peão
E o peão é imbatível
Porque nunca perde a peãozice

Perguntas

terça-feira, agosto 13th, 2019

Pra se enturmar com o U.S.A. entrega o nosso
Se não puder ser antes é preciso derrotar a direita nas eleições municipais em todo o pais
O excluído quer vingar sua expulsão incluindo agora comandante os militares atuais que lá não estavam nos crimes do passado
O ex-capitão encontrou o seu major
O cara parece uma fantasia de d.Maria I que condenou Tiradentes
A seus pés seu neto talvez ali aprendeu a usurpar a Independência
De usurpação em usurpação chegamos aos dias de hoje
Um anônimo juiz de província move ou inventa mundos e fundos para incriminar o peão
Se realmente instruísse a apuração e comprovação da causa então não poderia por óbvio julgá-la
E não havendo provas passou a inventá-las
Pífias ridículas ilações nada provam
Assim mesmo o condena
Como a calúnia e a infâmia de um juiz de província prevalece sobre o duas vezes chefe do poder executivo eleito pelo voto direto
O executivo só por eleição ou golpe o judiciário não
Ali ninguém é eleito
Um ex-chefe do poder executivo só pode ser julgado se fôr o caso pela chefia do outro poder o judiciário
E não por seus bedéis
Uma comarca anônima com péssimos antecedentes avoca a si sequestrar o país inteiro
Apura julga e condena na orquestração de delações e prisões sob torturas explícitas ou implícitas
A começar por um doleiro seu antigo parceiro em outras estripulias
E descobre-se uma operação falcatrua na área comercial da maior e emblemática empresa nacional
Como em qualquer operação comercial capitalista quem vende e quem compra garante-se um bônus de desempenho
Na compra de um carro ou de um apê sempre rola uma comissão aqui e ali
É crime?
Comprovado?
Puna-se
Por mim pode destruir a burguesia inteira
Mas daí a querer envolver o chefe de estado duas vezes eleito e cumpridor de suas gestões nos malfeitos de apenas uma de suas centenas de áreas de atuação no país e no mundo é pretensão demais
No desenrolar do golpe em 16 invoca-se como culpa o conjunto da obra
Pois avalie-se o conjunto da obra de um presidente ameaçado pelo baixo clero de uma comarca anônima
E sem encontrar-se o que em quarenta anos se apurou de favorecimento pessoal debalde o bedel começa a fabricar falsas evidências no jogo das falsas delações
Assim mesmo na mais inacreditável sentença declaradamente sem uma única prova condena quem certamente fêz mais pelo país que o seu acusador
E de surpresa em surpresa já não é só um anônimo de província
Seus colegas locais igualmente anônimos os regionais sem ao menos ler sufragam e agravam a barbárie jurídica
Só faltava prendê-lo para impedi-lo de vencer as eleições
Não faltou mais nada no atropelo de prazos e agora na cobertura dos colegas federais eleitorais mais um golpe se completa
Abertamente às escâncaras fraudam-se as eleições gerais
E num misto de surpresa e horror o pior acontece
Mas se for para prendê-lo numa sala de estado maior
Que o presidente do poder judiciário ofereça a sua para o duas vezes presidente do poder executivo

Freios

quarta-feira, agosto 7th, 2019

As autoridades democráticas deviam conferir a ele a condição de cidadão honorário em seus países ou cidades
Usurpado o governo só pode ser promíscuo
Não é por isso ou aquilo é pelo conjunto da obra do golpe
Por mais que a gente se esforce a vida é que toma o rumo
É difícil comparar
Cada um nasce a seu jeito
E vai buscando caber no mundo feito à nossa revelia
O que cada um fizer sozinho em nada altera sua vida ou o mundo
É preciso saber operar o conceito de luta de classes
Havendo classes a disputa é inevitável
E já não são os recursos escassos o que as opõe
O que as opõe é o acesso ao usufruto dos recursos sociais
Quem irá prescrever os meandros por que passam as sociedades
Com o extraordinário avanço da sociedade tecnológica não há mais carência objetiva de recursos
O que há é sua perversa distribuição planetária
Em que o progresso tecnológico que é produção coletiva ao invés de libertar aprisiona melhores condições de vida para todos
Não é mais um sonho é fato
Convertida a gestão dos recursos para o uso de todos
Que motivo haverá para disputas pessoais ou sociais
E se já podemos quicar na lua para ir a marte
Como não poderíamos partilhar o pão e o teto
De tal forma que eliminem-se a guerra e a violência
E permutem-se os bens e serviços entre todos
A incalculável fortuna que se gasta com guerra e violência basta para alimentar a todos os povos
Não sei quando para a humanidade surgiu a situação de uma minoria dominar a maioria
Situação inaceitável pois todos nascemos iguais e nus
Despojados de qualquer adereço pessoal
Mas já o que nos distingue vem a ser o berço
É de ouro é de prata ou é de lata
Qualquer revestimento no entanto não determina o conteúdo
O corpo não determina o espírito
O espírito não determina o corpo
Convivem quando sobrepujam-se nem sempre dá certo
Se for numa corrida até dá
Mas se for briga não tem como
É de quem sacar primeiro
É de quem tem arma maior
Não se aprisione nem o espírito e nem o corpo
E solta o velho
#LulaLivre!

(em 20 de julho).

Apenas

terça-feira, agosto 6th, 2019

É vermelho porque é ruivo não é por política
E acessar o acessível é crime?
Se alguém vazou tá vazado
Todo mundo pode usar
Pra chegar onde quiseres passarás onde não queres
A pequena burguesia é pior do que a própria burguesia
E como aqui só grassa ela
Como o BRICS tolera a criminosa prisão de um de seus criadores?
Faz como os USA bloqueia!
O maior inimigo da sociedade é a violência
Quem protagoniza agoniza?
Há os que tanto fazem e eu não faço nada
A não ser tontas palavras pra entender o mundo em que nasci
Alguém do mal inventou que países podem intervir invadir e dominar outros países
O desenho mesmo dos países é determinado pelos interesses mundiais dominantes
Deveriam ser povos e suas terras tradicionais
Pode haver trocas mas não supremacia
É indigno algum país invadir e dominar um outro
Ao que se imagina uma terceira guerra mundial é improvável porque seria o fim do mundo
Restaram então as incessantes guerras locais do mais forte
Bombardeiam e dizimam populações inteiras sem sequer chegar perto
E a céu aberto e de cara aberta
E de repente a nós nos coube participar dessa tragédia em que o país se abate
O que fazer?
Unidade ou nada!
Venham de onde vierem tragam o que quiserem
Mas organizem-se
Não venham com querelas ou disputas internas de poder
O que vale é o voto
Fomos surpreendidos pelo surgimento de partidos e candidatos nunca vistos
E vitoriosos nas urnas
Mais que a fraude na presidência é de assustar o sem número de eleitos nos estados saídos do nada
No panorama geral avizinha-se a disputa municipal sem unidade vai enterrar a resistência
E antes disso e acima de tudo anulem-se os processos fraudulentos contra os governos legítimos
Fossem fáceis as discussões não existiriam
Todos morrem mas enquanto se vive era bom um tanto de dignidade
O mundo e nós de volta a 68?
Explosões de violência
Unidade ou derrota de novo?
Ainda é tempo