Ultrajes

Qualquer esquerda é melhor que qualquer direita
Apologia à tortura no Brasil já é crime
E no Chile em ataque ao pai da Alta Comissária da ONU!
A ONU devia proibir sua proximidade à casa
Acatar a fraude eleitoral acarreta na barbárie nacional
Nenhuma palavra vale mais que um fato
Os militares ainda não cansaram de seu expulso?
A liberdade de expressão só é condicionada pela expressão de liberdade
A criminalidade se deve a que uns podem ganhar mais que os outros
Quem se acha de esquerda não deve ficar puxando briga com o poder
Porque o poder se vinga nos mais fracos
Mas se ele voltar também não será como antes
Vai ter que confrontar frontalmente com os inimigos do povo
A esperança é o véio a trama desmanchando-se no ar
Se vale para o sólido imagina para o gasoso
Conselho não se dá nem pedindo
De tanto abusarem os que abusaram o abuso chegou até a eles
A palavra vem primeiro a ideia vem depois
A ideia vem primeiro a palavra vem depois
Protejam-se os abutres ainda rondam
Não é fácil encher as ruas todo dia
É de esquerda quem se comporta como tal
A responsabilidade pelo preso é do Supremo que o tem sob custódia até julgar todos os recursos
E reconhecer-lhe a inocência e a fraude jurídica que o aprisionou
O triste é que a repressão burguesa se dá por meio de subalternos pobres
Quem favoreceu e foi favorecido agora é arrependido
O que? Onde? Quando?
A independência proclamada pelo futuro rei de Portugal Pedro IV vale quanto vale nada
Valeu a cabeça do Tiradentes esquartejado
Cadê os escroques cadê os corruptos só ficou o velho?
É incrível um só homem na solitária manter o país de pé
E agora?
Como reparar o desastre nacional?
Estado democrático de direito por que a redundância?
Se é democrático é de direito e se é de direito é democrático
Se for de direita não é nem uma coisa nem outra
E desde a imposição monocrática do domínio do fato o direito subverte o estado democrático
E sua invocação agora se espalha por qualquer comarca de província
Julgamento sem provas nem dá pra abrir processo
A peste empesteia todos nós

Comments are closed.