Agudas

Não adianta espelhar-se em outros povos e histórias igualmente conturbados
Na verdade temos um encontro marcado nas muito próximas eleições municipais
Não é recomendável queimar etapas quem se queima são os queimados
É preciso anular a fraude de 18 com os milhões de votos democráticos nas urnas
A história não é pessoal
Então o que acontece para que surjam sujeitos providenciais
Toda a questão é a ação
A alguém se reconhece o dom da liderança
A linha não é reta
Ainda não caiu a ficha?
Ao não captar a mensagem o capitão capotou
Que dia cantaremos adeus às tiranias
Não sei porque não se planta árvores frutíferas ruas afora
Somos todos iguais todos diferentes
A cortina se esfumaça
Que há pilantras no pedaço é mais que consabido
Agora sim Supremo vai com tudo
As sociedades são piramidais
A vida é uma pirâmide
Faço o pouco que posso
Cadê a República?
Previdência castrense aos comandantes o máximo aos comandados a matar e morrer o mínimo
Caçar o caçador
Se apologia à tortura não dá em nada imagina o AI-5
Golpe militar vai ter que convencer sargentos e praças a bancar a previdência milionária dos generais
E generais nem dão nem levam tiro
Causídicos anônimos fazem carreira nas tevês
Esse óleo vai até o polo
Prisões arbitrárias por juízes ávidos de estrelato não são toleráveis
A malévola platinada inventou um BBB do jurídico quem vai pro paredão?
O país refém do exibicionismo
A arte replica a vida
Faz perícia na perícia
Faz perícia na icterícia
Eu se me desculpo
Um ameaça o outro executa
Os sobrinhos e as sobras do capitão
O né nem
Não é “a democratização do acesso ao cinema brasileiro” e sim às salas de exibição em enorme maioria exibindo filmes estrangeiros e sem cumprir a lei do curta
E por que não “a democratização do acesso à educação no Brasil”?

Comments are closed.