Manobras

Tudo que acontece o povo converte a seu favor
Isso na democracia
No golpismo a coisa é mais complicada
Por ilegítimos espalham a ilegitimidade país afora
E assim proliferam as milícias
Necessariamente expressões de seus espaços de origem
São alçadas em escala nacional
E conseguem fraudulentamente eleger o seu presidente da república
Assim age o imperialismo aqui prenderam lá mataram
Lideranças nacionais populares são perseguidas nos quatro cantos do mundo
Têm a seu favor o direito natural à terra em que nasceram
Não são o invasor
Liberdade para os povos
Os que se sintam irmanados com os seus
Cada humano tem a sua identidade pessoal
Distinta de todos os demais
Mas compartilhada no âmbito de suas relações sociais
Desde a família se não houver a de sangue haverá a de adoção
E a adoção até inconsciente dos valores em que nascem e crescem
A partir do epicentro que é o seu torrão natal
O povo de sua terra e a terra de seu povo
E as terras na Terra estão sendo exauridas
Pela avassaladora praga do comércio mundial
O que a uns falta e aos outros sobeja?
E com o passar dos séculos
Fabrica-se o gosto que interessa ao mercado
Impõem-se os valores uniformizados para o consumo
Desrespeita-se e agride-se os valores de cada povo
Reduzem o mundo a uma massa de consumidores
Atuando em desfavor da maioria dos povos
Os povos sobrevivem os que sobreviveram até aqui
Sobreviverão
Conseguirão recuperar a terra devastada?
É só banir os produtos de consumo elitista
Viverás do que plantares e colheres
Antes que os fascistas de plantão apertem o botão
Quem detém tamanho poder?
Milhões de assassinados pela impostura brutal de dirigentes
Maldição!

Comments are closed.