Archive for the ‘Sem categoria’ Category

Saques

terça-feira, outubro 17th, 2017

Bota pra ferver
Imagens induzem o real na cabeça das pessoas
Por enquanto o de 64 foi pior bem pior
Sou contra o contra
Não precisa ser contra
Basta ser a favor de si
Proponho um plebiscito: Quem quer ser Brasil?
Não critico o que está à minha esquerda
Us cara tão rifanu o Banco do Brasil criado por d.João VI em 1808
Errei a data?
Menos mal que não foi a vírgula
A constituição pode ser física moral ou trapalhã de tanto que os golpistas a manipulam
É bom repetir-se
Quer dizer que a mente é firme
Haveremos de ver
Não quero agradar
Quero entender
Quero explicar
Acho que a arte é mimética
Imitando o que vemos
Construimos
O Brasil é dilmais! Chato é esses urubus atrapalhando
Na falta do melhor vai o marromeno mermo
É difícil discutir detalhes quando a geral vai mal
É preciso acabar com o barato norte-americano de exterminar populações
A realidade não é boa é o que é
Os estados nacionais se criaram pela supremacia de alguns povos sobre os outros
O problema do Brasil é o euzismo
Todo dia ouve-se maravilhas das bélgicas e islândias
Mas quem mora lá não somos nós
Não me orgulho nem me envergonho
É preciso acabar com o terrorismo de estado implantado pelos golpistas em 16
Uns caras matando outros condenando por uma mísera bagana
A esquerda não pode ser golpista a direita não pode deixar de ser
Acabrunhados assistimos ao galope das bêstas feras
Os agalopados agalopantes
E os macrogolpistas e os microgolpistas golpeiam-se até entre si
O Brasil é grande o Brasil é enorme não é essa bobagem desse circo maldito de Brasília
O cinema é uma arte coletiva mais vale quanto mais filmes tem
Entope a pia

Cruzes

terça-feira, outubro 10th, 2017

Mostro a cobra e mato a pau
Palavras não têm sentido
Só quando se misturam
Uma diz à outra
Tô de boa na lagoa
Imersos no fascismo que é uma bêsta fera
A bêsta fera não tem limites
Espalha-se como uma gosma
Um dia aqui outro ali
Qualquer coisa é tudo
Todo mundo é personagem
A nuvem cobre o mundo inteiro
Nenhum povo merece ser dominado
Cada país tem muitos povos
A gosma empurra uns contra os outros
De tanto conspirar o conspirador conspirou-se
O impostor propaga a impostura
Nem feudal nem capital aqui é um deus nos acuda
A questão do povo é sobreviver
Em meio ao tiroteio das ambições e poderes burgueses
Na aldeia é onde mora o equilíbrio
Todos colhem o que plantam
E partilham
Não mexam com os tesouros da terra ela pode não gostar
E a cambada se vai juntando
E justapondo-se
Nenhum interêsse é desinteressado
O pior é expor maliciosamente foto de criança alheia
O pior foi aceitar a farsa da delação petebista
O pior é meia duzia de notários do fim do mundo roubarem milhões e milhões de votos dos brasileiros
O boi a bala a bíblia
O matador suicida-se
Não se esqueça de mijar antes de sair
Rifar o Gragoatá é de uma estupidez digna do ilegítimo
Tento pensar a vida
Não sei o que dizer da morte
Lamentar
E quando fôr a minha
Menos ainda terei o que dizer
E nem mais precisa

A Nelson

domingo, outubro 8th, 2017

Em 7 de out de 2017, à(s) 15:19, Sergio Santeiro escreveu:

A Nelson

Quase aos 90 anos de idade o nosso mestre como em um Liceu de Artes e Ofícios segue ensinando pelo exemplo
Ao longo da vida plantou filmes escolas e leis
Filmou os seus e os que inspirou
Foi montador de “Barravento” estréia de Glauber Rocha e “Pedreira de São Diogo” estréia de Leon Hirszman e produtor de outros como “O Grande Momento” estréia de Roberto Santos
Seu primeiro filme “Juventude” um documentário em 1949 embora perdido pelo título já diz tudo em sua estréia comunista
A construção do comunismo no pós-guerra no Brasil era uma frente ampla para o desenvolvimento
No entanto logo os intelectuais e os militantes se estranharam e foram cada um pro seu lado
Como de costume
Em 1952 lança no II Congresso do Cinema Brasileiro em São Paulo o conceito de “modo de produção independente” que passa a concretizar desde “Rio 40 Graus” em 1955 o memorável mural em sua carreira de humanista e até hoje
´Um dos construtores do primeiro curso superior de cinema na seminal Universidade de Brasília´que em 68 sofre o ataque demolidor da ditadura da época
De lá segue para Niterói onde participa na criação em 1968 do Instituto de Arte e Comunicação Social e seu curso de cinema na Universidade Federal Fluminense
´Batalhou também na frente pela legislação a favor do cinema como no grupo de trabalho que em 1974 propõe a criação dos três poderes do cinema brasileiro: o Concine normativo, a Embrafilme executiva e o Centrocine cultural
É o elo de ligação entre o o cinema brasileiro de antes e o de agora
Algum dia gostaria de refletir sobre seus filmes à luz de um conceito de “cinema popular socialista” que creio ser a estética de sua obra
Diz a lenda que enquanto os meninos do cinema novo discutiam ele impávido na dele só concluía: “Agora vai lá e faz!”
Um comunista orgânico gramsciano são contemporâneos
E em suas próprias palavras: “Eu acho que sou um homem do povo que driblou a gramática e descobriu o cinema”.

Petecas

terça-feira, outubro 3rd, 2017

Pensamentos que vêm
Pensamentos que vão
Algum senso há de haver no que vai e no que vem
Algum governante precisa ser inquirido se estender incentivos fora do sul maravilha?
Algum governante precisa ser subornado para que a economia prospere?
Não é este o papel dos governos?
Agradeço aos que já me brindaram com a minha presença
Ninguém faz a revolução que quer
É difícil ter opinião sobre coisas complexas
Não é sim nem não
É como
O papel das cidades é viabilizar pelo mundo o que nelas se produz
Não é querer impor-lhes o que de fora vem
Onde tiver um longa estrangeiro tem que ter um curta brasileiro
Devidamente remunerado pelo valor dos curtas em edital
Falar de si é natural
Do outro é complicado
A realidade não é líquida
Ela liquida
Ela atira
Irmãos matam irmãos a serviço dos patrãos
O pior é que o soldado é o povo armado pelo poder burguês
E que ordenado atira em seus irmãos de classe
Nosso futuro presidente não pode ser retirado a nenhum pretexto da cena política
Resolve no voto em 18
Espanta-me que os brasileiros não se unam na proteção do futuro presidente face ao assédio fascista
Não pode um rábula de província não podem os rábulas de província sequestrar previamente as tantas dezenas de milhões de votos em 18
Tem que vir as eleições
Ainda melhor se com uma constituinte popular para promover a paz nacional
Como alhures
O que marca o fascismo é a banalização da violência
Desde o golpe tempos sombrios
O golpe implanta o caos
A fôrma perguntou a forma qual a forma que a forma tem
A forma respondeu que tem a forma que a fôrma não tem
Não morde lambe
Não é possível que se tenha de viver o fascismo até as entranhas
Basta a reflexão?
A reflexão não basta
Basta?

Maus

terça-feira, setembro 26th, 2017

Democratas de qualquer linhagem precisam unir-se para impedir o avanço do complô golpista que tomou o poder no golpe de 16 antes que já seja tarde demais
Definha definha definhou
O golpe de 16 decretou o fim da república e o início da tirania
Dispersa-se o país em tantas facções
Nada tenho contra as marcas do tempo
O bufão bufa e bufona
Bufonar é o que é próprio ao bufão
Não se deixem prender asilem-se
Todos caçam e ninguém acha
Até em mourão o Marx acerta: o primeiro é tragédia o segundo farsa
Há os que são melhores
Pois há os pósteros
“Rock in Rio”? Tás de sacanagem. É na Rocinha!
Aproveita a farra e abriga o povo da rua
A elite é eles nós seus escravos
Não brinquem o fascismo está entre nós
Junta cambada é eles ou nós
De norte a sul de leste a oeste o Brasil todo clama
A poesia é um raio de luz ou é nada
Não venha oferecer o que você não tem pra dar
Comunista tem horror de tiete
Comunista manda você gramar até aprender
Os 54 milhões que elegeram a presidenta não podem entubar essa tragédia do ilegítimo
À véspera do desastre reage Brasil!
Bando de energia perdida concentra no anula o golpe
Espero que cada um saiba onde botar o seu desejo
Este arremedo de império romano está demorando a cair
Sai dessa Brasil!
Cuidado com os fundamentalistas
Desde o que se diz supremo até o mais baixo escalão
Quem vem de fora não pode tomar o lugar do nativo
E a quem provoca
Não comenta
Não fomenta
Não alimenta
Cada um sabe a sua
A enorme maioria das populações no mundo vive de alguma forma em regime de comunidade
Eis o comunismo!
Não acredito em nada que não veja com meus olhos razoáveis
Razoáveis são os da razão

Demãos

terça-feira, setembro 19th, 2017

E não?
Que falta faz uma utopia
Enquanto o povo anda pelas ruas a burguesia conspira em gabinetes
Afia a farsa
Se não sabem quem sou
Nem ao espelho aconselho
Aprisionado e coagido denúncia vale nada
Nem sorte nem azar acaso
Dia sim dia não
Não é a primeira vez que se leva prisioneiros a delatar na tevê
Nada pode derrubar o voto popular
Nenhum indivíduo pode derrubar mais de uma década de progresso social
Tem neguinho que acha sem procurar
Ando atrás do tempo
Ele é mais rápido do que eu
Admiro os que conseguem expor seu pensamento com clareza
Não é o meu forte
Nada supera a audácia imperialista
Destroem países à tôa
E nem precisava
Impõem a fábrica de crises
Quando a camarilha se empenha em destruir o voto popular isto é fascismo
Agora só falta explodir o Gasômetro
“Pacto de sangue”: deu a louca na Transilvânia
Parece que o delator quer alegar insanidade mental
Na antevéspera do adeus o escárnio
Não me dou o direito de condenar o torturado
Condeno o torturador
O que vi foi um torturado face a seu torturador
Uma sessão de tortura transmitida país afora pela mídia golpista
Para aprofundar ainda mais o golpe
E a desgraça do país
Como no passado
Prender e arrebentar
Como fazem
Na dança macabra do macartismo anti-petista
Tudo como manda o imperialismo
Não só aqui
Mundo afora
Como no passado?

Trapos

terça-feira, setembro 12th, 2017

Somos colmeias
Produzimos mel e fel
Meta infernal
É tudo joio do mesmo saco
Nóis burila
Quem muito anda mais tropeça
Se parar é atropelado
A mídia inventa uma vida de mentira
Outra é a que se vive
Agencia pode ser nacional talvez mas de cinema é ruim hem!
Tem que banir o sexismo no comércio e na mídia
O sexo é a maior potência individual dos seres vivos
O prazer é uma alegria
Não pode ser invadido pela violência
Violência é impor-se ao outro
A sociedade é responsável por todos os cidadãos
Não só os bem sucedidos
É preciso ser solidário
Cuidado
O país está refém do tribunalismo
Faz-se aqui 150 longas e só se fala de meia duzia
Quem sabe com os outros os que não se fala o agrado será geral
Quanto mais melhor
Quanto menos pior
O que te preocupa?
Com o que te preocupas?
Por que te preocupas?
Foi a paleta junto com o filé
Até tu bruto?
Depois do almoço
Nada como um baseado
E um cochilo ali ao lado
Sòzinho ou acompanhado
A farsa demora até que demorô!
Vai um dólar aí?
Uns verde
Ou vai um saco do dinheiro nosso
Dez sacos
Cem sacos
Mil sacos

Quais

terça-feira, setembro 5th, 2017

Dia não há em que a direita não apronte
E a esquerda hesite no que fazer
O que é justo
O macro abafa o micro
Não nos entendemos
Desentendemo-nos
A ninguém se diz como poetar
Cada um poeta como quer
O que nos diz o peito
O que esses idiotas no poder não entendem
É que o Brasil não é deles
O Brasil é propriedade dos milhões de brasileiros
Essa meia duzia de moleques não pode vender ceder trocar negociar nada no país
Ainda mais sendo ilegítimos
Bando de golpista!
Esqueço o que esqueci
Apure-se
Depure-se
Queremos ver mais burgueses na cadeia
Ou menos populares aprisionados?
Este filme por aí falado não passa de um selfie-filme
O de fora puxa o de dentro
O de dentro puxa o de fora
O que é a vida dessa gente
Dessa(s) gente(s)
Não se nomeia o adversário é fazer-lhe propaganda
Quem detrata não retrata
Quem retrata não detrata
Para todos
Bela utopia
Para todos todos?
Ou para todos quem?
Estão fechando os cercos
As cercas fecham
Chega o progresso
Aos poucos para poucos
Erguem-se pirâmides
O que foram as pirâmides?
O que são?
Poucos no topo tantos na base

Vãs

terça-feira, agosto 29th, 2017

Não entendo disso
Mas pra não ser preso vai-se à clandestinidade
Triste ver o país destruído por uma quadrilha do mal
Que se apossou do poder
O cara tem milhões quantos votos tem qualquer outro brasileiro?
É preciso trocar a comunicação golpista pela solidária
É preciso saber o que acontece à nossa volta para melhor nos protegermos
É de dentro pra fora
O problema é que a CIA quer que o país exploda
O problema é que a CIA quer que a nossa América exploda
Abismo-me
Ninguém vive sozinho
Agregamo-nos
Desagregamo-nos
Legaliza como lá que vira tudo empresário tudo vira negócio
O patrocínio do supremo ao golpe foi uma miserável chantagem para o aumento de seus espetaculares soldos alcançado na farra do ilegítimo
Golpistas em todas as longitudes e latitudes
Será que entre as traves dos golpistas passará a nossa bola?
Agora já não é mais marolinha
Algum dia se há de explicar porque o capitalismo no Brasil é tão burro
Permitir a destruição da economia do país
Quê que estão querendo? Capitalizar o Estado?
Destruir o mercado?
Privatizar serviços até pode ser mas não para entregá-los aos gringos
A soberania nacional é intocável
Não se pode rifar o território nacional
Ainda mais território indígena
Ainda mais para roubar matas e metais
Pipoca o pipôco em toda parte
Sacode e espirra
E sobretudo humor
Escuta aqui
Esse arremedo de ditador pode mesmo fazer o que quiser?
Esse(s) arremedo(s) de ditador pode(m) mesmo fazer o que quiser(em)?
Se setorializar a luta de classes perdemos
Não dá nem pra saída
A Amazônia para os amazônidas
E só
Arranca o resto
Arranca os ratos

Questãs

terça-feira, agosto 22nd, 2017

A questã não é tomar o poder
É promover o progresso social
Não é só o fogo gelo também faz fumaça
Hum tão quentinha
Hum tão friinha
Na primeira visão de um filme esqueça os significados
Atente para a composição da forma
Puro fruir
Depois o resto vem
Um pratão vale mais que dois pratinhos
Não pode o país ficar a mercê de tribunais da CIA
A minha questã é o que fazer neste mundo
Como retribuir a energia cósmica que me originou e me alimenta?
Vejo-a em toda parte
Mas o fogo queima
Não devo nem chegar perto
E ela a cósmica não é só minha
É de todos nós
Os naturais
Pedras ares mares seres
Enquanto o governo for ilegítimo o caos só irá se agravar
A mídia aterroriza a população para legitimar o terrorismo do estado
Pelamordideus quem não for fascista ajunte-se na esquerda
Que não se repita a guerra espanhola em que a disputa na esquerda abriu caminho à vitória da direita
E aqui a direita já ganhou em 16 no golpe
Chega!
Por que curta? É mais rápido mais barato e dá menos trabalho
Cineasta é quem se preocupa com o próprio filme
Águas de agosto: é o golpe é o golpe
Não empurrem a classe média ainda mais pra direita
Generais não exponham seus recrutas
Amigos das classes médias
Neste momento terrível do país
É preciso cerrar fileiras de volta à democracia
Em torno ao nosso mais votado militante
Senão a direita leva
O resto discute-se depois
Mais que nunca a partir de agora
O presidenciável Lula não pode ser atingido por chicanas jurídicas de província
Seu destino está nas mãos do povo