Archive for the ‘Sem categoria’ Category

Repiques

terça-feira, março 31st, 2020

Como se comportar na guerra?
Fugir dela é claro
Mas como?
O que vemos desde a AP 470 é uma revanche da direita derrotada nas urnas pelos governos populares
Culminando com a descarada fraude em 18
A direita é como uma nuvem de gafanhotos
Uma pandemia origina-se de apenas um infectado?
É preciso focar agora nas municipais uma vitória das esquerdas é um xeque mate nos golpistas ao passo que a vitória deles aí fica difícil
Se bobeia a milícia leva
Cuidado para as milícias não ganharem as municipais
Ninguém é insubstituível
Ninguém é indispensável
Enquanto gasta-se zilhões para manter a opressão do estado as populações vivem em plena miséria
Generais lhe são gratos pois abriu a porteira para o gado passar
Há os que se destacam por sua altivez outros por sua baixeza
O pior é que as polêmicas engordam a vênus
A grande golpista contrata um diretor golpista para uma telenovela com a anuência dos mais próximos a respeito de quem foi o alvo da milícia que os golpistas botaram no poder
O maior desafio que o melhor candidato para o Rio vai ter de enfrentar
Deus é carioca olha lá o Corcovado
Avisa a geral candidato não perde mandato
Precisa pensar também na vereança é por aí que a milícia se agiganta
No news make news fake news
Sem notícia inventa falsas
Atendendo a pedidos: Anula!
Empossado denuncia fraude na que o elegeu
Se o vitorioso alega fraude então anula
Primeiramente não existe raça
Se a humanidade descende de um primeiro casal
Somos todos irmãos geneticamente iguais
Quem quiser saber as diferenças sociais consulte seu DNA
A récua recuou
Mercado é o trabalho
Manda quem paga obedece quem precisa
Com tanto auê a vênus devia dar férias coletivas
O oráculo está sempre certo
É preciso afundar no mais fundo do humano
Para então ressurgir a busca do sublime
Cada idade média tem a peste que merece
O que não melhora piora

Aliáses

terça-feira, março 24th, 2020

Cada flôr merece seu caminho até fenecer
É preciso assegurar que cada ser vivente viva
Talvez a origem o ser do universo seja um buraco negro acumulando nanoinfinitesimais energias até expelí-las sob a forma de sóis planetas sistemas galáxias e depois reabsorvê-las sob a forma de energias
Por isso não são iguais nem eternos
É cada um uma original combinação de gases terras líquidos
Haverá vida em outros mundos?
Mas talvez não como a conhecemos
Ou a chamamos
Será apenas um autoretrato?
Os filhos são um crédito na terra em que nasceram e vivem
São a única condição no planeta
São nativos
Quem não é nativo que se arranje
Mas até hoje são os que mais se arranjam
Um dos maiores absurdos da história é que nativos são invadidos e dominados por estrangeiros
Os modos de vida a cultura enfim ali gerados são devastados pelos invasores
Mas não são extintos
Renascem renascerão no novo ciclo natural
A natureza gera e gerará os naturais das terras
Bastaria não se hostilizarem
Não se guerrearem
Não se dominarem
O mundo inteiro em seus diferentes momentos de civilização cabem no planeta
Organismos organizam-se
Orgânicamente
E voltam a ser pura energia
Descorporificam
E vamos cada um elipticamente a cada um de nossos destinos
Gravitando consumidos e expelidos em nova composição cósmica
Nada se perde tudo se transforma
Se assim é e se a tal ponto já chegamos
Sabemos de tudo
Vivenciamos tudo
Por que insistir nos horrores das guerras
Guerras gerais guerras locais guerras individuais
Forças que entrechocam-se forças que destroem-se forças que anulam-se
A força não é pra isso
É pra alavancar o mundo
Botá-lo a favor de todo o vivente
Paz e boa vontade

Surtos

terça-feira, março 17th, 2020

Tiradentes não pode ser patrono de milícias extinga-se a polícia militar
O carnaval sempre é cinzento até explodir a côr do povo
Quem viveu desde os anos 70 é parte da mesma armadilha
As há as do bem e as do mal
Apesar de vocês o povo canta o povo diz
Militar é de outra espécie?
O que se passa na cabeça de um militar
Ordem do dia do general da milícia: “Foda-se”
Não é possível que as armadas se perfilem a esse bando de idiotas
Quem fala em nome de outros blefa
As armadas nunca enfrentaram o povo
Sòmente certos grupos na calada das noites e nos porões do poder
De major pra cima é complicado com seus cursos de lavagem cerebral em Norteamérica
De major pra baixo é quem pega no pesado e comanda as tropas
As tropas pobres meninos fugindo da pobreza
Queria ver os mandantes na frente em guerra de verdade
Os meninos pobres meninos apavorados com a repressão carrasca de seus sargentos aderem ou abandonam-se à sorte
Os sargentos que jamais chegarão a oficiais esbaldam-se na formação de robôs que marcham no compasso da disciplina
E é nisso que se arvoram os que falam em seu nome: a disciplina
Farsescos farsantes na farra das fardas
Desarmadas cumprem serviços sociais de monta
Armadas só servem de intimidação e morte aos civis
E foram duramente atingidas pela repressão do golpe militar em 64
Destituídos presos torturados desaparecidos assassinados
E agora quem fala em seu nome é quem quis explodir quartéis e o Guandu
É quem enaltece a tortura e a violência que são crimes militares
Isto não é militar
Isto é miliciano
Primeiro nega depois entrega
Compra dólar o posto ipiranga diz que vai a 7 ou enquanto durarem as reservas juntadas pelo PT
Convoca os doleiros do Paraná
Tudo que acontece é bom
O que não acontece podia ser melhor ou pior
A história dos países não é nada memorável
Países vivem há séculos na maior desigualdade
Interna com seus próprios povos
Externa com os outros povos e países
Ainda não lograram o básico o trivial o original
O fim da exploração do homem pelo homem

Precários

terça-feira, março 10th, 2020

Asnos asneiras bestas besteiras
Quando alguma sapiência me ocorrer aviso
Orgulho de longas batalhas
O país borbulha
O país lateja
Lutando para extirpar essa coisa ruim que sobre nós se abateu
Aos que querem matar é preciso avisar que ninguém quer morrer
Quem se destaca em alguma coisa certamente não se destaca em outras
Não se deve nomear o inimigo
Nomeá-lo é dar-lhe voz
O que mais vale o aumento dos meios de pagamento nas mãos de todos ou a retórica tardia dos doutrinadores
Os bancos roubam-nos dinheiro
Abaixo o divisionismo
Ninguém aguenta uma notícia mais que uma semana
Com esse conjunto de obra por que não impixa?
Pré-impixaram o Dirceu
Impixaram a Dilma
Pré-impixaram o Lula
Quer mais o quê?
Um militar não pode ser presidente do Brasil
Porque a presidência é um cargo civil
Assim como um civil não pode comandar um batalhão
Roubaram a mãe do golpista que traiu o imperador
E tu acha que não era ditadura os marechais primeiros presidentes republicanos?
E cadê o decoro?
E quem deu o couro?
E quem deu o côro?
E quem deu o quórum?
Nada é mais anacrônico que fardas e medalharia no peito
Se engane quem gosta
A mídia golpista nem vai querer dar golpe nos cramulhão?
E o pibinho? Pibíssimo
Como me dizia o Glauber: “Você cuida da infra que eu cuido da superestrutura”
É difícil e muito ler a história
Pobres soldados a serviço de seus inimigos de classe
Doido não convive com maluco
Até a burguesia é atacada por seus gendarmes
E a polícia sempre tem seu dia de milícia
O Brasil precisa livrar-se de todas as milícias em todas as áreas políticas econômicas e sociais
Ou vai ficar ainda muito mais pior de ruim

Pacotes

terça-feira, março 3rd, 2020

O maior cuidado é que os radicais de um lado não excluam os outros
Safardos
O problema de morrer é que sua visão da história fica inverossímil
Cada geração a sua luta
Se sentir perigo cai fora
Fôsse a do Norte
Se um malfeito cometes trata de escondê-lo
Não gosto de coisas fora de lugar
Amador mas que não ama a dor
Não adora
Não confunde
Não atrapalha
Nem precisa ir às ruas se fôr às urnas já basta
Consciência eleitoral resolve todos os problemas do mundo
É como bunda cada um tem a sua
Acham que é fofoca eu acho que é política
Graças à descarada fraude jurídico eleitoral restaura-se a ditadura militar no Brasil
Mas há o voto agora mesmo nas municipais
A revolução é municipalista
Por mais danosa que seja é difícil levar essa gente a sério
A invenção do corpo é genial
Corpos podem trabalhar junto ou separado
Uma maioria de municípios desbanca o poder central e pode cada um criar sua utopia local
Quem se omite não se inclui
Vitoriosa a unidade de esquerda em cada município fará a revolução possível amanhã
A ágora é agora
O personalismo elege a direita
Se a onça bebe a água a vaca sai do brejo
A farda não é fada
A pés-quisa induz mas não é voto
Os deuses de povos primitivos são uma invocação às forças da natureza para que elas não nos destruam
Os gregos os hindus os ameríndios os orientais os europeus
Escrevo mais do que consigo publicar
O afã em construir o mais alto e sustentável do mundo devia converter-se em casa para todos
É preciso ressocializar a sociedade socialmente
E eis aqui um velho diário
Este que já dura mais de dez anos
E tem também outros anteriores em que registram-se as batalhas
Muitas perdidas mas vividas
Há a sobrevida

Aindas

terça-feira, fevereiro 18th, 2020

Às vêis eu ero
Nem sempre consigo nem sempre tento
Depois da chuva a saparia a coaxar
Como é que um mequetrefe de província pôde assacar o mais notável do país
Compare-se os currículos é como se faz em concursos
E então vence o mais robusto
E dá pra comparar?
Quantos votos teve o moleque?
E quantos votos tem o peão?
Dúvida: é saudar ou salvar? (Caymmi)
Tudo que me disser eu já fui
Essa milícia que tomou o poder não representa o Brasil
Não se apeguem tanto ao prêmio estar lá já é vitória para todos menos eles
Impetrar contra a Petra? Impetra ele
Eu também choro no meu e em muitos filmes
Há esquerda ou não é esquerda
Se o inesperado acontece suspenda o fogo amigo
Us cara barbariza o país e ocêis quer cobrar de quem?
Falar não é problema ninguém ouve
Errou a dose
Exagerou na cura
Us cara inventaru o cretianismo
Fôsse só a água
Na cola do ex-capita generais abundam
Quem vai acreditar no país em quem apita é um ex-capita
Foram promovidos já não são sobrinhos são filhos
Pra suceder um ex-capitão não pode ser ex-general ou ex-coronel tem que ser ex-major
Da onde vêm é da caserna ou da caverna?
Instalado o desastre não é possível que se queira mais do mesmo
Dinheiro fácil é o da cobrança de pecados alheios
Para viver melhor com os próprios
Não canto rimas canto perplexo
E quem paga o pato quem o pato pagará?
É nóis tico-tico joão de barro ou sabiá
É égide ou lápide?
Preserve não dilapide
Mas o chefe do bando o que quer é rifar a viúva
E vai entregando a crédito e a prazo
O que é nosso o que dele não é

Marmotas

terça-feira, fevereiro 11th, 2020

Conta um conto e aumenta um ponto
Nos aproximamos do real ou o real se aproxima de nós
Pedidos de esmola nas esquinas
Atender
Recusar
Melhor é que não haja
Todos deviam ter moradia alimentação e saúde
É o papel do estado que representa a sociedade no atendimento de suas necessidades
O que é perfeitamente possível
O que não for para todos não pode ser para nem um
Chega um tempo na vida em que se perde o senso de oportunidade
Se é que jamais o houve
Essas fardas safardanas
A maioria dos empregos são na verdade subempregos
Exclui-se o conceito de trabalho
Pelo de emprego e portanto de subemprego
O trabalho dignifica o homem o emprego não
E o povo que não encontra trabalho inventa o seu
Nem que seja catar latinhas na rua
Se a sociedade não se organiza para garantir o trabalho de todos
Se as municipais não mudarem o rumo dessa prosa a vaca nunca sairá do brejo
Só um pedacim
Só no sapatim
Nem precisa o jornal aterrorizar a população ela já vive aterrorizada
Se fizer papel de gato o cão destrói você
Uma porta que se abre não impede que a próxima se feche
O fantasma em mim não quer saber de fantasmas dos outros
O cinema são todos os filmes do mundo
O que é coisa difícil de se imaginar
Ah se eu não sim
Resolvo os problemas da casa
Não resolvo os problemas da vida
Hoje não é ontem
O movimento dessacralizou a pintura
O som dessacralizou o silencio
A cor dessacralizou o branco
O digital dessacralizou o analógico
A forma dessacralizou o conteúdo
A morte dessacralizou a vida
A vida dessacralizou a morte

Andrajos

terça-feira, fevereiro 4th, 2020

O entranhado fascismo no país requer atenção
Dispois nóis discute a palavra agora é cuidar dos fatos
Não é só o usurpador e seus fâmulos isto é uma praga
O juiz de instrução acaba com a fraude do domínio do fato
Pra pensar a humanidade é preciso um tanto de humildade
O pensamento é contrário à violência
Enquanto os fâmulos barbarizam o impostor reina
Qualquer violência é intolerável
São um problema os nichos da pequena burguesia
Não vou gastar minha contabilidade contra mim
Se eu estiver devendo me cobre
Água demais ou água de menos
É mal que faz
Mesmo se legítimo um presidente não tem o direito de fazer o que quiser
Ilegítimo então …
Por que o mundo tem que se curvar à sanha assassina do imperialismo?
Sofremos com as algas imagina com o agrotóxico
Se envenenássemos somente a exportação talvez fosse uma boa
As eleições municipais podem reverter ou agravar o estado da desgraça no país
Capricha nelas
As alianças que antes se criaram eram antifascistas
Mas agora!
Em todo o mundo há sublevação dos povos contra o estado
Em alguns surge a negociação política
Em outros não
É guerra
A guerra dos povos contra o estado é um massacre
Massacrados os povos refluem a seu recuo máximo
Até novamente voltarem em novo ciclo da vida
A tirania do estado é terrível
Eleita já é usurpada então é pior
O estado não pode usar suas armas efetivas ou simbólicas contra a população
Se o fizer é tirano
Assim reza o pacto social
Tens a força mas não podes usá-la contra nós
Por missão ou omissão o estado constrange a população
Que por apatia ou resguardo resguarda-se
No que faz muito bem
Ninguém merece ser bucha de canhão
Pela paz contra a guerra

Malogros

terça-feira, janeiro 28th, 2020

É futebol nosso time contra o deles favor não atirar no gol errado
Incendeia galera incendeia incendeia tô incendianu
Nóis é quem queremos eles é quem não queremos
Ainda falta muito jogo nesse jogo
Nenhuma política cultural jamais incomodou o imperialismo
O rei não gosta de quem é mais realista que ele
Se muito puxar o saco arrebenta e sempre do lado mais fraco
Crescemos nas mesmas águas embalados nos mesmos sonhos
Aportamos em portos diversos
Conhecemos outras baías
Quem não é o mesmo é diferente
E assim vai-se a monotonia da vida
Quem me chamar primeiro eu ouço
Se não me chamar não vou
Não é correto falar de escravo mas escravizado
Não é correto falar de africano tantos foram os povos de lá aqui sequestrados
Apologia ao nazismo não à tortura sim
Imagina enaltecer a tortura em pleno Congresso Nacional
E foi né até hoje tá lá
Entre isso e o nada prefiro o nada
Tolerou-se o intolerável
Nem precisa nada basta uma carteira na Caixa lastreada por todos os recursos da área é como o minha casa ou o crédito agrícola
Um insiste que sim o outro insiste que não
Lá a repulsa ao nazismo aqui o elogio à tortura
Cê compraria um carro dele? Nem eles
Os protestos no mundo não são ideológicos
São contra o modelo de industrialização predatória
Qual não é?
É bom inventar uma que não seja
A gritaria e a risada ocuparam o país
O que não faz rir não é bom
É o que dizem
Derrotar a esquerda como assim?
Com o calabouço o cala a boca?
Derrotou foi o resto da direita
A mais ou menos ou nem tanto
A disfarçada
Nem neo-liberal não é
É meramente colonial
Amansaram a prole?
Se não a casa cai
Vou ganhar o é-de-tal com “A Noiva do Drácula”
Não é só porque é nazista é porque é asnista
Consegues domar a tua fera ou é ela que consegue te domar
A dialética é uma conversa entre termos
O mal do mundo é a guerra
A guerra é o mal do mundo
O pior é que o imperialismo sempre encontra algum nativo disposto a serví-lo

Redobras

terça-feira, janeiro 21st, 2020

O mundo é diversidade
O mundo é pluralidade
E como faz pra desplastificar o planeta?
A sociedade domestica as pessoas
E como sempre suscita a rebeldia
Raramente bem sucedida
Rebeldes são geralmente massacrados
As pessoas só falam o que querem ouvir
A culpa não é do sol
Cristo é uma lenda
Cada povo tem a sua
Ou um mito de origem de judeus anti-imperialistas
Deus é a maior prova da ignorância humana
Senta na poltrona
A resistência é um princípio não é uma estratégia
A missão do século é voltar à natureza
Não há como acelerar o destino
O flagelo nosso e do mundo é a barbárie
A terra arredonda os lunáticos planam
O país está maduro para crescer
E se não está precisa ficar
O futuro aos pósteros pertence
Sujar a água é sujeira
A ciência constrói
A política destrói
Por que não se boicota um país que boicota?
Se o pão tá difícil capricha no circo
No balanço do golpe o país encolhe
Encalha
Na minha época chamava-se juiz de instrução
Garantido ao que saiba é um dos bois de Parintins
A memória da matéria é a matéria da memória?
A arte não é arma é alma
A vida é mistério vou por aqui não vou por ali
Não importa que vença já é dilmais estar lá
A fic inventa o doc testemunha
A tenacidade é a marca do autor
A maioria da população desarmada tem mesmo que se submeter à sanha dessa minoria armada?
Desalmada
Mal amada
Amor
E paz