Archive for abril, 2010

Oficina WIKINARUA

sexta-feira, abril 30th, 2010

      

Oficina do XPTA.LAB em Brasília – WIKINARUA

quinta-feira, abril 29th, 2010

Objetivos do workshop no aniversário de Brasília

Evento realizado na Funarte, com apoio do

Ministério da Cultura

 

Realização de um workshop, nos dias 21 e 22 de abirl de 2010, com atividades práticas-teóricas sobre a rede social WIKINARUA envolvendo a criação de imagens, animações, vídeos, textos e sons sobre a artenarua, culturanarua, patrimônio hitórico, material, imaterial e comunidades no sentido biocenose.

A atividade realizada foi interativa e visou alcançar e sensibilizar comunidades tradicionais, com a possibilidade de diminuir as diferenças sociais em tempo real pela arte, criatividade e o imaginário. Participam das atividades crinaças, adolescentes e público da comuidade do Distrito Federal que participavam das comemorações do aniversário de 50 anos de Brasília.

As instalações físicas e infra-estrutura do workshop contaram com 10 computadores, 10 totens interativos, 1 painel de LED e transmissão em tempo real pela rede social wikinarua.com.

As atividades se dividiram em atividades principais:

1. Apresentação da rede social wikinarua;

2. Apresentação do desenvolvimento do software wikinarua para celular

3. Realização de fotografias e vídeos, com a comunidade, para a formação do banco de dados da rede social wikinarua.

Participaram 10 monitores, que trabalham no projeto como bolsistas. O local foi visitado por mais de 500 pessoa0s, e no site se cadastraram aproximadamente 200 pessoas.

I Workshop XPTA e Oficina de Tecnologias para TV Digital Interativa – XPTA

quarta-feira, abril 28th, 2010

Já estão no site http://natalnet.br/xpta/ as imagens do I Workshop XPTA e Oficina de Tecnologias para TV Digital Interativa – XPTA.

sexta-feira, abril 16th, 2010

A transmissão do vídeo na rede social do WIKINARUA http://www.wikinarua.com/ já está funcionando.

Dia 21 de abril a oficina WIKINARUA começa às 9h e vai até às 18h.

O local é na Esplanada dos Ministério, Funarte.

 

MídiaLab Laboratório de Pesquisa em Arte e Realidade Virtual
Departamento de Artes Visuais
Instituto de Artes
Universidade de Brasília
Campus Universitário Darcy Ribeirohttp://artetecnologialab.blogspot.com/

Oficina do XPTA.LAB em João Pessoa

quinta-feira, abril 15th, 2010

 

Projeto XPTA.LAB

Estação-Escola de Televisão Digital – LAVID

Universidade Federal da Paraíba
Departamento de Informática
LAVID – DI – CCEN – UFPB

A 1ª Oficina de TV Digital Interativa promovida pela Lavid/UFPB/XPTA.LAB aconteceu nos dias 02 e 03 de março do presente ano. Na oficina foram inscritas 75 pessoas, sendo que estiveram presentes 30 pessoas. Os participantes apresentaram perfis relacionados na parea de comunicação, como: produtor audiovisual, jornalista, radialista, designer, etc. A programação da oficina objetivou o desenvolvimento de competências no campo da TV digital interativa para a concepção, produção e implementação de aplicações interativas.

A programação foi estruturada com o intuito de promover conhecimento sobre tecnologia em TV digital interativa e suas funcionalidades, interatividade, produção de conteúdos interativos, demosntração de aplicações em TV digital, desenvolvimento de aplicações para TVD com linguagem NCL e Java. A oficina apresentou a carga horária de 16 horas e aconteceu na sala do Reuni do Departamento de Informática da Universidade Federal da Paraíba.

Após o evento foi realizada no dia 04 de março uma reunião interna com os coordenadores dos projetos consorciados para apresentação detalhada do projeto de excelência e consorciados e plano de gestão aplicado, explicação da tecnologia em desenvolvimento para a estruturação do VirtuaLabTV, definição metodológica do trabalho, discussão das temáticas para os programas, revisão dos orçamentos consorciados e apresentação do processo administrativo da Funape. Na ocasião, foram repassados os perfis e funções para a equipe que cada consorciado necessita para estruturar e executar o projeto.

quinta-feira, abril 15th, 2010
 

 

Projeto XPTA.LAB

Estação-Escola de Televisão Digital – LAVID

 Relatório de Atividades – fev e mar/2010

 

Prof: Guido Lemos de Souza Filho
Universidade Federal da Paraíba
Departamento de Informática
LAVID – DI – CCEN – UFPB

 O VirtuaLabTV tem como função suprir a necessidade de simular uma estação de TV, cujo custo é da ordem de R$ 200.000,00, em cada ponto de produção de conteúdo digital. Para tal, ele virtualiza fornecendo acesso remoto aos equipamentos de um laboratório físico: o Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital (Lavid) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Os equipamentos desse laboratório são conectados à internet, de modo que usuários externos possam controlá-lo remotamente. Com esse ambiente, os testes dos programas de interatividade passam a ser mais realistas, já que serão realizados em um ambiente real de transmissão/recepção de conteúdo para TV digital, e não em simuladores.

O sistema oferecerá uma interface web e, com isso, os usuários não precisarão baixar nenhum aplicativo em seus computadores para realizar os testes. Basta enviar o vídeo e a aplicação. Será disponibilizado ao usuário um controle remoto virtual (no navegador) para que os comandos executados no mesmo sejam transmitidos para o receptor do laboratório físico e será possível visualizar em tempo real a aplicação executando sobre o vídeo enviado pelo usuário.

Os parceiros que compõem a equipe do projeto XPTA.LAB irão desenvolver programas interativo. Para viabilizar essa atividade serão ministradas oficinas com treinamento em desenvolvimento de aplicações Ginga e será proposto e validado um processo de desenvolvimento que harmonize as atividades de produção audiovisual com as atividades afeitas ao desenvolvimento de software. A documentação a ser produzida deve ser gerada como produto final em cada interação do processo, pois ajuda no acompanhamento das atividades e permite um controle por parte dos engenheiros.

 

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO AUDIOVISUAL INTERATIVO

Os consorciados produzirão 11 programas interativos de 26 minutos e o Lavid coordenará a metodologia do processo produtivo, que é dividida em:

1- Análise das propostas dos programas;

2- Orientação da concepção dos eventuais problemas com relação:

a) ao formato do conteúdo;

b) à linguagem e gênero do programa;

c) à viabilidade econômica e tecnológica de produção;

d) à execução do projeto;

e) à organização das etapas de produção: pré-produção, produção e pós-produção.

Em reunião interna realizada no dia 04 de março em João Pessoa com a presença dos coordenadores dos projetos consorciados foram definidas as temáticas que orientarão a etapa de concepção do roteiro, linguagem e formato do programa. O direcionamento seguido na estruturação das temáticas é guiado por três perguntas, que são:

1- Interatividade no porder público – Como a população interage com o poder público?

2- Qual é o papel da televisão digital?

3- Como a televisão digital pode ser utilizada para melhorar a comunicação do poder público com a população?

A partir disso foi definida uma proposta de temática para o conteúdo de cada programa consorciado através da preferência de cada um em trabalhar um contexto local, conforme abaixo:

  • Núcleo de Produção Digital / Belém – integração da crinaça com a escola

  • ZooN / Natal – integração da criança com a escola

  • ABD / PB – cultura – formato teledramaturgia

  • Núcleo de Produção Digital / Rio Branco – cultura – foco na agenda cultural

  • Ideário / Maceió – cultura e educação

  • Núcleo de Produção Digital / Aracajú – cultura

  • TV UFMA / São Luís – transferência de tecnologia da universidade para a sociedade

  • Núcleo de Produção Digital / Teresina – orçamento participativo

  • Núcleo de Produção Digital / Fortaleza – turismo e meio ambiente – desenvolvimento sustentável

  • ABCV / Salvador – turismo e meio ambiente – desenvolvimento sustentável

  • Aperipê / Aracajú – serviço público bancário

Realizada oficina do XPTA.LAB em São Carlos

terça-feira, abril 13th, 2010

Virtualidade imersiva e interativa baseada em

Cloud Computing

ATIVIDADES DA PRIMEIRA OFICINA

 

Proponente
Universidade Federal de São Carlos
Prof.Dr. Luís Carlos Trevelin
 
Consorciados
Universidade Federal da Paraíba
Universidade Federal do Pará
 Abútua Tecnologia
Universidade do Estado de São Paulo
Corollarium Tecnologies

 

 A primeira Oficina (15/03/2010 a 17/03/2010) ocorreu na Universidade Federal de São Carlos e contou com a participação de representantes de todos os projetos envolvidos, incluindo alunos de graduação, mestrado e doutorado. O objetivo geral, que foi de disseminar os projetos entre os envolvidos, detalhar as estratégias de desenvolvimento, estabelecer o plano para os próximos passos, apresentar os resultados preliminares e integrar todos os envolvidos, foi alcançado com sucesso.

No primeiro dia (15/03/2010) ocorreu a apresentação e discussão do Projeto de Excelência, que é basicamente o desenvolvimento do ambiente imersivo e interativo, e a construção do framework principal, que será utilizado pelos consorciados para desenvolvimento das aplicações. No segundo dia (16/03/2010), os sub-projetos dos consorciados foram apresentados. Isto possibilitou a sincronização de metas e estratégias de desenvolvimento entre todos. Por fim, o terceiro dia (17/03/2010) foi dedicado a detalhar os recursos dos dispositivos móveis e de TV Digital envolvidos nos projetos e sua integração com o ambiente em desenvolvimento, além disso, estabeleceram-se as metas para a próxima oficina. Essa oficina foi gravada e em breve os vídeos estarão disponibilizados para público interessado na página do projeto.

A próxima Oficina (31/05/2010 a 02/06/2010) ocorrerá na Universidade do Estado de São Paulo (Bauru,SP) e terá como objetivo principal a apresentação dos resultados parciais do projeto Excelência e dos Consorciados. Além disso, ocorrerão treinamentos para uso das ferramentas que estão em desenvolvimento bem como o planejamento das próximas etapas.

terça-feira, abril 13th, 2010

Virtualidade imersiva e interativa baseada em

Cloud Computing

Proponente

Universidade Federal de São Carlos
Prof.Dr. Luís Carlos Trevelin
 
Consorciados
Universidade Federal da Paraíba
Universidade Federal do Pará
 Abútua Tecnologia
Universidade do Estado de São Paulo
Corollarium Tecnologies

UFSCar: Projeto de excelência

O projeto de excelência consiste em uma plataforma para virtualidade imersiva e interativa baseada em Cloud Computing, isto é, o desenvolvimento de um framework básico de comunicação em nuvem com suporte e desenvolvimento de conteúdos distribuídos multiusuários de realidade virtual e aumentada para TV digital, móveis (smartphones, PDAs) e computadores pessoais, incluindo, além do código, documentação e exemplos básicos deste framework, e também suporte a seu uso pelos laboratórios consorciados.

Estabeleceu-se, neste início de projeto, sua organização geral.

  • – assinatura de contrato principal do XPTA e dos contratos dos consorciados.
  • – organização e execução da primeira oficina com os consorciados.
  • – planejamento, projeto e aprovação pela UFSCar das obras civis para a construção do ambiente imersivo.
  • – definição técnica, com alta granularidade, das funcionalidades específicas necessárias para os projetos consorciados.

Ambiente imersivo

A construção do ambiente imersivo está em curso. Foi recebida a autorização para as devidas adaptações civis no local. Em complemento, o projeto técnico do ambiente imersivo está em desenvolvimento, com planos preliminares indicando a construção de um ambiente de três telas em ângulo obtuso, controladas por um aglomerado de computadores.

 Plataforma

O desenvolvimento de software do projeto principal foca no aprimoramento da biblioteca de código aberto libGlass, da biblioteca JAMP e do suporte a TV digital, conforme plano original de trabalho. Durante esta etapa inicial do projeto, focou-se em melhorias internas do software para preparar uma versão base sobre a qual os trabalhos serão desenvolvidos.

Projeto 1: Corollarium Tecnologia – Obra digital Menna Barreto

Propõe-se aqui o desenvolvimento de uma instalação, que permita ao público explorar e interagir em um ambiente tridimensional, baseado na obra da artista plástica brasileira Sônia Menna Barreto. O conceito está firmado na possibilidade de trazer uma obra de pintura à realidade exploratória, permitindo que o espectador se torne parte da obra e que o ambiente supostamente estático se torne dinâmico e contemple as possibilidades inexploradas pelo meio.

Já foram realizadas as seguintes ações: reunião com a artista, Sônia Menna Barreto, para discussão das partes “escondidas” do quadro e de modificações necessárias para a modelagem 3D; contratação de modelador especializado, que já iniciou seus trabalhos e entregou os primeiros resultados; estabelecimento da forma de navegação e interação com o quadro; início do desenvolvimento do software de visualização.

Projeto 2: Corollarium Tecnologia – Interação corporal por reconhecimento de imagens

A proposta deste projeto é o desenvolvimento de um sistema de interação corporal baseado no reconhecimento de imagens de uma webcam, capaz de identificar a forma esqueletal de um usuário. Isto permitirá interagir com sistemas de realidade virtual naturalmente, além de poder ser estendido para aplicações de cinematografia (motion capture) de baixo custo.

Estamos em processo de contratação de um especialista PhD na área para auxiliar no desenvolvimento do projeto. Enquanto isso está sendo executado o estudo de algoritmos, especificação e planejamento do sistema. Resultados preliminares já foram atingidos, como a segmentação de fundo da imagem.

Projeto 3: Corollarium Tecnologia – Jogos Colaborativos para TV Digital voltados para deficientes visuais

A proposta deste projeto é o desenvolvimento do jogo Labirinto para TV Digital para deficientes visuais. O usuário irá interagir com o jogo por intermédio do controle remoto. O deficiente receberá as informações via áudio.  Atualmente está se testando as ferramentas de desenvolvimento e especificando o jogo. Na oficina foram demonstrados os resultados de alguns testes, no caso, um jogo de perguntas e respostas.

Projeto 4: LabTEVE/UFPB – Arqueologia Interativa

O sub-projeto tem como objetivo prover conteúdo cultural relacionado à arqueologia. O objeto do trabalho será o Sítio Arqueológico da Pedra do Ingá, localizado no interior da Paraíba, no município de Ingá. A partir de recursos da realidade virtual, está sendo desenvolvido um ambiente totalmente virtual no qual informações e objetos estarão dispostos de forma organizada. Este ambiente será acessível a partir da Internet e permitirá interatividade a partir da navegação espacial e execução de vídeos, imagens e sons dispostos no local. Deste modo, pessoas de qualquer parte poderão visitar e conhecer o local.

Na Fase 1 do desenvolvimento foram coletadas e reunidas informações sobre o local, tais como textos científicos, mapas geográficos e geológicos, modificações do local ao longo dos anos e descritivos da fauna e da flora. Além disso, a equipe esteve no local e coletou imagens nos três primeiros meses do ano. Outras fotografias deverão ser tiradas na Fase 2, pois permitirão apresentar a situação do local fora e durante o período de chuvas. Sob o ponto de vista computacional, planejou-se como dispor o ambiente na Internet e como este poderia ser apresentado em 3D. O mesmo planejamento ocorreu quanto à montagem de uma plataforma de visualização imersiva com 2 ou 3 lados que pudesse ser exposta para divulgação cultural e fosse utilizada por mais de uma pessoa ao mesmo tempo.

Projeto 5: LabTEVE/UFPB – Arte Itinerante com Museus Virtuais

O sub-projeto tem como objetivo prover conteúdo cultural a partir da visitação de museus dispostos na Internet. De forma diferenciada de outros museus virtuais, propôs-se a disponibilização de ambientes virtuais tridimensionais compostos por peças também tridimensionais que poderão ser manipuladas pelos visitantes.

Na Fase 1 do desenvolvimento foi definida a estrutura cliente-servidor e a concepção da base de acervos. Também foi concebida a interface de apresentação do museu e uma modelagem parcial das salas de exposição. Também foi realizado o teste de estereoscopia que permitirá a visualização em 3D dos museus e seu conteúdo. Os testes iniciais de acesso aos museus previram a conexão de um usuário e de até quatro usuários simultaneamente. Este teste permitiu verificar o tempo de conexão e a independência da visitação de cada usuário.

Projeto 6: UFPA -Sistema Multiprojeção para Múltiplas Visões de Dados Coordenadas para suporte a Análise de Grandes Bases de Dados Multidimensionais

Este projeto consistem em produzir uma ferramenta de visualização de dados interativa com múltiplas visões de dados coordenadas, que possam ser facilmente configuradas pelo usuário. Cada computador processará sua própria representação de dados, interações, e busca de dados, ficando a cargo de um servidor o sincronismo e reflexão das mudanças feitas pelo usuário em uma técnica para outras. Até o momento foram definidas as tecnologias base para o desenvolvimento e a implementação das técnicas de visualização de informação.

Projeto 7: UFPA -Aplicações de Visualização de Informação em TV Digital para suporte à Compra de Produtos On-line

Este projeto consiste em desenvolver uma aplicação de visualização de informação para TV Digital com o objetivo de oferecer suporte ao usuário na busca ou compra de produtos on-line. Também será possível apresentar uma imagem do produto de interesse do usuário. Até o momento foram definidas as tecnologias base para o desenvolvimento.

Projeto 8: UFPA – Aplicação Colaborativa de Visualização de Informação em Realidade Aumentada

Este projeto consiste em desenvolver uma aplicação colaborativa em ambiente de realidade para visualização de informação. O usuário poderá compartilhar visões construídas no seu ambiente privado com os demais usuários remotos. Também será possível comunicar através da voz com os outros usuários conectados. Até o momento foram definidas as tecnologias que serão utilizadas para o desenvolvimento da aplicação. Já estão em desenvolvimento testes de comunicação e transferência de objetos em rede para compartilhamento dos gráficos.

Projeto 9: UNESP – Sistema de Realidade Virtual para Estruturas Dentárias

Um sistema de Realidade Virtual para Arcadas Dentárias está sendo desenvolvido, acreditando-se que a combinação dessas técnicas possa acarretar em avanços na área de ensino e pesquisa em Odontologia, porém, ainda sim, sendo um sistema de baixo custo. Até o momento está sendo desenvolvida uma interface Java, para que o uso do sistema seja efetuado de maneira simples e dispositivos móveis possam ser utilizados como meio de interação no ambiente.

Projeto 10: UNESP – A comunicação em Libras com Auxílio de Realidade Virtual

A partir de estudos relacionados a maneiras interativas de meios de comunicação, o projeto visa desenvolver uma aplicação capaz de oferecer inclusão social de deficientes auditivos à sociedade, e para isso, será utilizado a Realidade Virtual para a visualização do alfabeto LIBRAS numa projeção tridimensional de um humano virtual em tempo e em tamanho real utilizando aglomerado gráfico.

O humano virtual já foi desenvolvido na linguagem de programação JAVA e a base de dados do alfabeto LIBRAS, já está parcialmente desenvolvida em uma base de dados local. A idéia agora é projetar este humano virtual em tamanho e em tempo real utilizando a biblioteca libGlass, incrementando assim, a comunicação entre deficientes auditivos e pessoas que querem aprender e necessitam da linguagem de sinais LIBRAS, pelo fato de aumentar a interação e a imersão dos usuários com a aplicação.

Projeto 11: Abútua Tecnologia – Construção de Marionetes Digitais para Narrativas Interativas

O objetivo deste projeto é o desenvolvimento de uma API (Interface de Programação de Aplicativos) que suporte a animação em tempo real das marionetes digitais que será integrada a um motor gráfico para jogos de computadores 3D. Atualmente o projeto está na fase de implementação da especificação da API (Projeto) e do desenvolvimento da API Gráfica.

Projeto 12: Abútua Tecnologia – Instalação para a Construção de Espetáculos Virtuais Usando Marionetes Digitais

O objetivo deste projeto é o Desenvolvimento de uma instalação mínima para a construção de narrativas interativas usando as marionetes digitais (estudo de caso). Já foram realizadas a especificação e planejamento da apresentação (roteiro) e a criação das animações e modelos.

Oficina do XPTA.LAB em Brasília

sexta-feira, abril 9th, 2010

 

Lançamento da rede social WIKINARUA (wikinarua.com) durante o evento Brasília, Outros 50, em comemoração ao aniversário da Capital do Brasil, a ser realizado na Funarate Esplanada dos Ministérios dia 21 de abril das 9h às 16h.

 

Transmissão ao vivo pelo site wikinarua.com do workshop a ser realizado com a comunidade de Brasília e escolas do DF. Participação especial da comunidade DF Zulu.

 

Atividades:

1. Apresentação do projeto wikinarua;
2. Formação do banco de dados da cartografia wikinarua com imagens,
vídeos, textos e sons durante o workshop;
3. Ciberintervenção urbana com projeções os trabalhos artísticos
realizados no local, nos espaços externos da Funarte.

 

Apoio: Universidade de Brasília, Universidade de Goiás e Universidade do Piauí

Realização: MídiaLab – Laboratório de Pesquisa em Arte e Realidade Virtual – Departamento de Artes Visuais – UnB

sexta-feira, abril 9th, 2010

 

Universidade de Brasília

MídiaLab Laboratório de Pesquisa em Arte

e Realidade Virtual

WIKINARUA

WIKINARUA é uma rede social e também é um software para celular- provavelmente o primeiro do Brasil, de realidade aumentada para dispositivos móveis. Alguns dos subprodutos para o sistema definidos nesta etapa foram os seguintes:

  1. Criação de uma rede social com interface web e com a utilização de dispositivos móveis com foco na inclusão artística.
  2. As interfaces da rede social devem permitir que o usuário se cadastre e insira conteúdo georreferenciado na localidade desejada.
  3. A rede social deve ser desenvolvida para funcionar em software livre.
  4. O sistema deve permitir a interação entre usuários, através de troca de mensagens, imagens, vídeos e participação em comunidades criadas pelos próprios usuários.
  5. Os visitantes poderão se inscrever no serviço de sindicação, chamado de feed, e receber uma atualização toda vez que o administrador atualizar o site.

Rede Social: cartografia WIKINARUA

  1. A interface web a ser lançada no dia 15 de abril no endereço www.wikinarua.com fornece informações sobre o projeto total, contendo todos os projetos consorciados.
  2. permite que qualquer usuário com um e-mail se cadastre e participe da rede social.
  3. possibilita a importação de conteúdo de outras redes sociais, tais como vídeos, imagens e sons.
  4. Possui um mapa, cartografia colaborativa, para visualização dos pontos inseridos, com seus conteúdos multimídia, focando os seguintes assuntos:

– Artenarua (coloque aqui sua arte e mostre para o mundo. Fotos, vídeos, sons e texto.)

– Culturanarua (mostre o que sua comunidade está fazendo para todos.) 

– Histórias (conte a história de sua cidade, a sua ou o que você achar importante.)

 – Cultura material (apresente a cultura material do ambiente de sua cidade: objetos, utensílios, ferramentas, adornos, meios de transporte, moradias)

 – Patrimônio histórico (Insira aqui informações sobre o patrimônio histórico de sua comunidade)

 – Comunidade ( Fale de sua comunidade)

WIKINARUA móvel

  1. O aplicativo (software) para dispositivos móveis deve ser capaz de obter do aparelho (quando disponível) a posição geográfica atual do usuário para um correto posicionamento no mapa.
  2. Ser capaz de descarregar a lista de pontos existentes próximos ao usuário.
  3. Deve ser capaz de mostrar em um mapa os pontos próximos a posição do usuário.
  4. Deve possuir o recurso de realidade aumentada para que através da câmera digital do aparelho, da bussola e GPS ser capaz de mostrar na tela a direção dos pontos próximos.

  PROJETOS CONSORCIADOS

Jogabilidade em redes sociais – o produto está em fase de detalhamento funcional e técnico, prevendo a criação de elementos de jogabilidade para redes sociais – e não jogos para web. O produto está em fase de geração de layout.

– Animação interativa – o produto consiste em um ambiente para criação de animações interativas, composto de um banco de dados de cenários, personagens, ações e elementos de interatividade.

Interface baseada em movimento – o produto está em fase de levantamento de tecnologias para visão computacional com uso de webcam e softwares de mapeamento de imagem. Com o dispositivo será possível dispensar o uso de mouse, usando a webcam como interface de entrada de dados para o sistema.

Interfaces computacionais – a pesquisa teórica dá suporte aos demais projetos, na configuração dos produtos, seu comportamento interativo e soluções conceituais de projeto.

Game para PC, Game para TV digital, Game para celular, Aplicativo para TV digital – o objetivo destes projetos é criar games que sintetizem a cultura popular brasileira explorada em sua diversas manifestçãoes, como a música, a dança, as artes plásticas, a literatura, o teatro, o cinema, o cordel, o vídeo e a televisão.

– Game em Realidade Aumentada (GRA) – utilizaremos a tecnologia de realidade aumentada como linguagem artística computacional, interveção no espaço urbano e/ou meio ambiente, permitindo a visualização de animações virtuais inseridas sobre qualquer que desejarmos, tais como: roupas, paredes, objetos, automóveis e até mesmo, como tatuagens sobre a superfície da pele.

– Câmera interativa para CyberTV – o interator deverá ter a possibilidade de interagir, por meio do movimento de seu corpo, com sistemas desenvolvidos para TV Digital INterativa através da plataforma Ginga-J baseado em processos de visão computacional.

Gamearte para CiberTV – o projeto com características de game ativista está elbaorando o roteiro do jogo baseado em histórias reais e criando o desenho das personagens tendo como ponto de partida as comunidades tradicionais, como indígenas e quilombolas.

Narrativas Emergentes em Vida Urbana Misturada – poderão ser criadas narrativas pelos usuários e habitantes do espaço urbano, usando ferramentas geo-localizadoras (GPS, mapas online) e redes (internet, celular) no envio de arquivos via SMS, MMS, Bluetooth, sobre determinados locais da cidade.